domingo, 4 de agosto de 2013













Os pinheiros agulhados de braços abertos e erguidos para o céu, na vanglória desumana de alcançarem Deus......
As raízes profundas investem pela terra apertada de secura prendendo-os como âncoras ás coisas terrenas até que um dia numa qualquer fatal madrugada, a força do machado cairá sem remissão e livre então erguer-se-à aos céus de Deus  como évolos de fumo perfumado...





  Jorge d'alte