domingo, 5 de dezembro de 2010

ACHAM QUE EU MEREÇO?



Sentado, escrevo letras que se unem em frases que fazem os meus textos.
Tantas vezes me perguntei, porque estou aqui?
Porque faço isto?
Nunca até à pouco me tinha debruçado, sobre este sonho que era escrever e se possível, um dia escrever o tal livro.
A vida girou e levou-me por outros caminhos, deu-me outros sonhos, deu-me outros fins, e agora sem mais aquela, obrigou-me a sentar, e como um velho professor apontando o papel e a caneta, intrometeu-se-me na minha mente dizendo:
Está na altura, agora escreve!
E assim o faço.
Não sei se o mereço e por isso, aqui aguardo qualquer comentário, que por ser sincero me fustigue a alma e faça com que os meus dedos escrevam algo que eu quisera que fosse magia...
Continuo sem saber porque estou aqui... e se mereço!
Ouvi lindas palavras vindas de tantos corações, alguns que se entranharam na minha alma, ficaram lá presos numa amizade que não tem rosto, mas tem gesto e esses eu gosto e amo...
Na amálgama que zurze a minha mente, as letras saem primeiro tímidas, depois fluentes e riscam o papel onde o texto exposto é contemplado e depois é visto, é visitado. Alguns deixam o seu carisma num comentário, outros apenas passam como as nuvens levadas pelo vento.
Tantas são as perguntas que me faço.
Mas sinceramente digam-me lá, acham que eu mereço?


Jorge d'Alte