segunda-feira, 19 de março de 2012


Quanta tempestade
quanta bonança
queimaram o teu corpo sem remissão
O nevoeiro da idade
esfumou a lembrança
mas tu ardes sempre em saudade, no coração.



Jorge d'alte