sexta-feira, 2 de março de 2012

Hoje clamei a tua presença e os sonhos vieram em tons de rosa...
........Era dia de anos e andava nervoso. Os treze chegavam hoje mas não havia diferença, continuava o mesmo por dentro e por fora. Talvez tivesse crescido mais um centímetro desde a ultima vez. Ansiava pelo lanche e pela companhia dos meus amigos e sonhava com sorvete de chocolate conforme me fora prometido.
...As batidelas na porta sucederam-se continuamente tantas quanto os meus amigos que chegavam. Choveram prendinhas mirabolantes que me fizeram sorrir mas .... Foi um grande mas que surgiu perante mim nuns olhos verdes de prados húmidos num sorriso deslumbrante de luminosa alvura...desculpa trouxe a minha prima comigo pois não a queria deixar sozinha - Não te importas?
Se querem saber o que disse têm que esperar muito pois eu perdi-me nesse prado e corri nesse vento quando o nome foi soprado como canto de sereia... Pois já devem estar a ver...foi mesmo isso que aconteceu fui apanhado num sentimento tão angustiante e belo tão ansioso e novo que me movia a seu belo prazer como marioneta controlada por invisíveis fios...soube sem saber que lhe chamavam "amor" e era tudo o que eu via nela e era tudo o que eu queria e por isso já perto do entardecer segurando a sua linda mão lhe perguntei - como te chamas?
- Eu sou a M... mas porque sorris assim para mim?
- Tu fostes a mais bela prenda que me trouxeram e gostava que fosses minha?
E os anos voaram sempre cheios de ti e os nossos corpos mudaram como as estações e os sonhos com eles...e ficaram ali naquela primavera quando partiste e eu fiquei quando o sono eterno te fez dele e a mim calhou-me a eternidade da dor da esperança de nos voltarmos a ver um dia nesse lugar onde agora vives.
Obrigado por teres vindo mais uma vez ao meu encontro pois por mais que eu viva nesse dia também morri.