sábado, 21 de dezembro de 2013

O NATAL DE JOEL






Joel nascera num soalheiro e quente dia de Junho havia já 5 anos.

As aulas da pré primária tinham encolhido até ao tão desejado dia em que começariam as  suas férias mais apetecidas- As férias do Natal.



A árvore colhida ao nascer do sol, no pinhal da colina que fazia parte da  quinta onde Joel vivia, jazia ali  no soalho encerado da sala, inerte com os seus ramos entrelaçados como num ultimo abraço, ali mesmo  junto à lareira de canto. Os olhos de Joel entristeceram, pois agora não havia brisa para dar vida ao pinheiro. Este já não acenava no seu vai vem nem rugiria de fúria nos dias invernosos que chegavam.
Sentou-se no chão de pernas cruzadas olhando sorumbático a vida que deambulava à sua volta. O pai fora buscar um grande vaso de barro  e preparava-o para receber o pinheiro, colocando pedras no seu interior. A sua mãe trouxera duas grandes caixas  de cartão e abria-as resmungando como sempre o fazia quando as coisas não corriam de feição.
Joel via o pinheiro a crescer enquanto o pai o erguia ao ar arfando com o esforço e com um suspiro o colocava dentro do vaso.Pegou em mais pedras e colocou-as em redor do tronco até este ficar sereno e erecto.
Agora viria  aparte que mais adorava. A colocação das luzes e as coloridas bolas e por fim bem lá  no alto a estrela dourada....
Mas lá no fundo da sua mente, germinava uma ideia que desde há muito o apoquentava. Este ano iria apanhar o Pai Natal quando este viesse depositar em redor da sua árvore as tão gostosas prendinhas que todos os anos recebia....hummm será que este ano o Pai Natal me vai trazer um computador?- Pensou!

Lá no Infantário todos falavam da Internet... ele julgara a principio que devia ser uma doença, alguém muito importante ou algum monstro  pois todos falavam dela....uns tinham-na em casa segundo confessavam....então resolveu perguntar ao Pedro que era o seu melhor amigo se esta era algum animal de estimação  para ele também andar com ela de um lado para o outro. Pedro dissera-lhe  muitas vezes que estava na Internet na sala e no quarto e muitas vezes até na cama e uma ou duas  vezes na casa de banho. Mas Pedro era rico e excêntrico e fazia coisas que mais ninguém fazia. Joel só via um caso idêntico na sua vida....a sua cadelita Elvira! Ela também estava por todo o lado e até refastelada na sua cama, mas na casa de banho nunca entrava...porque seria?. Mas para sua surpresa o Pedro ficou com uma cara grande e parada....depois com uma boca redonda fez OHhhhhhh! Riu-se até sufocar....depois ainda com lágrimas nos olhos mas já com um ar sério disse -estavas a brincar  não estavas? As lágrimas tinham assomado por sua vez aos olhos de Joel que balbuciou apenas um simples não!.... Pedro sentara-se a seu lado com um ar grave e sisudo e então explicara-lhe o que era e como se devia utilizar.Nesse dia ficara a saber novas palavras que nada lhe diziam....engraçado!  Joel deixara escapar um sorriso enquanto a sua mente deambulava  lembrando-se perfeitamente,,,Down-loads, partilhar, likes, rato...hehehe julgara que era um rato a sério... teclado, open, blogs, google, hi5, facebook, twitter e-mail.....
Entretanto um movimento captou a sua atenção tirando-o dos seus pensamentos absorventes. O pai subia uma escada de metal e começara a colocar as luzes.....
E estas caíram enroladas no pinheiro e logo de seguida tiveram a companhia das bolas coloridas dependuradas nos mimosos e tenros raminhos. Viu o seu pai esticar-se todo colocando bem lá no topo a velha estrela dourada......


Seguiu-se o esguicho assobiante da neve artificial que caía para dar um ar mais autentico ....Depois foi só ligar as luzes à corrente eléctrica  para estas rapidamente começarem a luzir e a piscar. A Árvore de Natal ganhara vida!


Agora era a vez da sua mãe fazer o presépio colocando um estábulo de madeira  onde colocou o Menino Jesus na manjedoura, Nossa Senhora e S. José ao seu lado. O burrito e o gordo boi ficaram do outro lado aninhados oferecendo o seu bafo para aquecer o Menino. Um pouco mais longe os três Reis Magos  cavalgavam empoleirados nos seus camelos cor de mel. Por todo o lado Pastores e ovelhas e algumas personagens cantando louvores aquele que nascera para salvar o mundo. Fora assim que a Professora da Catequese lhes contara a história do nascimento de Jesus......
A noite caíra gelada na véspera do nascimento de Jesus. Joel na sua cama quentinha, agarrado à sua pequena botija em forma do Rato Mikey, esperava paciente que os seus Pais se fossem deitar...... Esta era a noite em que o Pai Natal viria depositar os seus presentes ao pé da árvore e ele que não era valente queria desta vez enfrentar o Pai Natal e agradecer-lhe por tudo o que este lhe tinha dado até então.
O calor da alcova invadira o pequeno corpo enrolado na caminha....

O Pai Natal descia pela morna chaminé da lareira apagada mas ainda com laivos de fumarolas....por detrás do sofá da sala, Joel arregalava os olhos de espanto e a sua boca fazia um enorme OH abafado.....Que grande saco tem o Pai Natal - pensou!
O Pai Natal dera um passo na direcção da árvore quando escutara o Oh abafado de Joel. Olhou com um ar doce e com uma voz que não se ouvia  chamou por Joel...
.Este contrafeito, com as perninhas tremelicantes e desconfortáveis, remexeu-se para se levantar. No solo o imenso saco estava aberto cheio de coloridos embrulhinhos contendo as tão ansiosas prendas.....




Joel! - Disse o Pai Natal.entregando-lhe um presente e outro, dizendo! - Este para a avó Maria, este para o avô Manuel....este para......
O rosto de Joel, antes ansioso e exultante começara a ficar mais inquieto, sério e soturno. Todos têm prendas menos eu -Pensou.
Por fim o saco estava já quase vazio....poucas prendas havia lá dentro e ainda faltavam as de sua irmã Rita e da sua cadela Elvira. As lágrimas queriam soltarem-se do seus olhos  mas não saiam porque estes estavam fechados......
OH não! -  gritou aflito.
Sentou-se na sua cama estremunhado....adormecera como um bebé enquanto o Pai Natal falava com ele ao mesmo tempo que lhe entregava as prendinhas para todos.....Oh   menos para ele....
Que fora que o Pai Natal lhe dissera entretanto?
Puxou pela memória enquanto enfiava o roupão e as suas pantufas de pelo quente.
Ah sim! Já se lembrava perfeitamente!
Olha Joel!  Sim fora assim que este começara por falar com ele....Há sonhos na nossa vida que serão sempre sonhos de magia. São sonhos que nos fazem grandes e pequenos, são sonhos que nos unem na vida e nos enchem de Amor por todos aqueles que amamos....fostes pensando enquanto te entregava as prendas em todos aquele que amas de verdade e fazem parte da tua vida, mas só te lembraste de ti, quando já todos tinham a sua prenda e o saco estava quase vazio.... acorda e vai até à Árvore.....
- Sim fora isto que o acordara - Pensou, enquanto se dirigia à sua sala e entrava de olhar aberto e sorridente. Fora bom dar todos aqueles presentes a cada um....à sua avó um xaile bem quentinho para ela se poder aquecer junto da lareira, ao seu avô uma bengala lustrosa com um cabo dourado  para ele poder ir buscá lo todos os dias à sua escola... ao seu pai uns sapatos novos, à sua mãe um colar de pedras azuis que vira um dia no shopping, à sua irritante irmã que tinha a mania que era rapaz,  uns patins de linha que ela tanto queria, à sua cadelinha uma bola de trapos e um osso gigante.....
Viu cada prenda no seu respectivo lugar....OH - Exclamou com surpresa. No seu lugar havia também uma reluzente e grande prenda.
O seu sorriso era enorme como a porta de uma garagem. - Que seria? -Pensou
Sentou-se no chão com o coração a bater bong-bong--bong-- Bomg---
As suas mãozinhas dextras começaram a rasgar entusiasmadas a sua prenda ao mesmo tempo que a sua mente  gritava- Que será?  que será?...
Nas suas mãos um vistoso computador azul faiscava ao sabor das luzes da árvore de Natal.





Lançou o seu olhar para a lareira e pelo canto do olho pareceu-lhe ver uma sombra fugidia e escutar um som que muitas vezes ouvira em filmes....
Oh-oh-ohhhhhhh!
Com um ponto brilhante no canto do olho e uma imensa alegria no seu coração disse - obrigado Pai Natal!
Depois possuído de uma estranha energia  correu para o seu quarto, pegou no seu telemóvel e ligou.....
Tocou e tocou a sua cantiga de chamada.....Porra atende! - gritou-
Estáaaaa! - escutou do outro lado. - És tu Joel? - Que te deu para me ligares a esta hora? São seis horas da manhã....
Não faz mal! - gritou exultante Joel.- Nem sabes o que o Pai Natal me trouxe..... Um computador novinho....azul como o teu.....sim! - Isso mesmo! - Só que tens que me ensinar a montar e a utilizá-lo.- Vens logo de manhãzinha quando os teus Pais deixarem? - Perfeito! espero por ti.....Já vistes o que recebeste do Pai Natal?  O quê? - recebestes uma nova bicicleta de montanha?.....pois podemos então dar umas voltas juntos  com a tua irmã Sofia e a Rita.........pois todos já temos bicicletas.....Sim eu sei que pedistes para poderes andar comigo..........
-Vem!

Jorge d'Alte



.